O Comitê de Psicanálise tem como objetivo discutir temas concernentes à teoria, à técnica e à intervenção em Psicanálise.

Para isso parte de algumas premissas essenciais. Em primeiro lugar, de que somos sujeitos divididos, ou seja, sujeitos de inconsciente; de que o sujeito se constitui a partir do encontro com o outro, um semelhante, e que as relações primordiais são o fundamento para a constituição do psiquismo, colocando em evidência que a construção do sujeito psíquico está em intrínseca relação com o laço social. Acrescenta-se, ainda, que os estudos e as discussões, realizados no comitê, estão alicerçados em conceitos fundamentais para a Psicanálise, como: inconsciente, pulsão, transferência e repetição.

A partir disso, o Comitê de Psicanálise tem como meta estudar e refletir sobre a teoria que a sustenta, bem como os distintos modos de sofrimento que aparecem na clínica. São temas de discussão tanto as estruturas clínicas propostas inicialmente por Freud – a saber, neurose, psicose e perversão -, bem como outros modos de padecimento trabalhados por autores pós-freudianos, como, por exemplo, as patologias limite,  psicossomática, adições, transtornos alimentares.

Portanto, temas como sexualidade, narcisismo, destrutividade estão sempre permeando o seu trabalho.

Os estudos do Comitê tem a intenção de abranger autores diversos dentro da Psicanálise, como Winnicott, Ferenczi, Green e Lacan. Para isso, utilizamos como método a leitura de trabalhos de tais autores, bem como a discussão de artigos de autores e pesquisadores contemporâneos, articulando sempre tais saberes com a clínica e a cultura em suas manifestações nos campos mais diversos, como, por exemplo, a arte.

26994382_1789850777755903_7386487040498273525_n

       Integrantes:

  • Aline Peixoto dos Passos
  • Andre Machado Dewes
  • Angele Bidone
  • Andresa Rodrigues Padilha
  • Ederson Nazario Parussolo
  • Kelen Patricia Bürke
  • Lisnéia Fabiani Bock
  • Natalia Amaral Ambrós
  • Rita de Cássia Lima Krás